O Photovoice como método de recolha de dados: o poder das imagens

As autoras Maria Anabela Ferreira dos Santos (afsantos@esel.pt), Maria dos Anjos Pereira Lopes (maveiga@esel.pt) e Maria Antónia, Rebêlo Botelho (rbotelho@esel.pt), da Escola Superior de Enfermagem de Lisboa no seu artigo “Photovoice as a method of data collection in the study of motherhood over the age of 35: the power of images” (2018). In: A.P. Costa et al (eds), Computer Supported Qualitative Research, Advances in Intelligent Systems and Computing 621, (316- 326), Springer International Publishing AG, DOI 10.1007/978-3-319-61121-1_27, apresentam o método de recolha de dados Photovoice realizada numa investigação qualitativa. Partilhamos aqui um resumo alargado desse mesmo texto.

O Conceito de PhotoVoice

O conceito de Photovoice foi desenvolvido por Caroline Wang e Mary Ann Burris em 1997. Trata-se de uma técnica fotográfica específica em que os participantes capturam as suas realidades quotidianas sob a forma de fotografias. O termo Photovoice encerra em si mesmo a ideia central deste método – dar voz à experiência individual ou coletiva através das fotos.É um método que utiliza um meio excecionalmente poderoso de comunicação – a imagem visual. Na investigação qualitativa é uma ferramenta que capacita e empodera os seus utilizadores/participantes, na medida em que são eles que escolhem o que fotografar e quando. Aos investigadores permite aceder à perspetiva dos participantes sobre o fenómeno em estudo, mesmo à de grupos mais vulneráveis da população, por ser acessível a todos aqueles que sejam capazes de tirar uma fotografia independentemente de saberem ler ou escrever (Wang & Burris, 1997). O uso do Photovoice em investigação qualitativa tem vindo a aumentar com participantes e temas diversos (Catalani & Minkler, 2010), por aumentar a possibilidade de captar as perceções e experiências dos participantes. As fotografias estimulam novos pensamentos e memórias despoletadas, mas não necessariamente contidas na imagem presente na fotografia, tornando o invisível visível e deste modo possibilitam aceder à compreensão de fenómenos ou de experiências. Para além disto,  acrescentam ao sentido da audição o da visão, expandem a consciência sensorial e aumentam o processo reflexivo (Padgett, Smith, Derejko, Henwood, & Tiderington, 2013).

Metodologia

O presente estudo insere-se num outro de âmbito mais alargado que tem como objetivo geral: “Compreender o processo de transição na maternidade experienciado pelas mulheres após os 35 anos.”

Para aceder à experiência de maternidade das participantes, realizámos uma análise qualitativa utilizando a Grounded Theory segundo Charmaz (2014), em que um dos métodos de recolha de dados foi o método Photovoice (Figura 1). Foram introduzidas algumas alterações e adaptações ao método Photovoice descrita por Wang & Burris (1997) devido à especificidade do estudo e das participantes. Num primeiro momento as participantes foram informadas do tema e objetivo do estudo e da utilização do Photovoice. Solicitou-se que escolhessem momentos que considerassem ter contribuído de alguma forma para a sua adaptação à maternidade, os fotografassem e os descrevessem oralmente ou por escrito. Não foram impostas qualquer tipo de limitações quanto ao número ou material a ser fotografado, apenas foi sugerido que fotografassem preferencialmente objetos ou lugares relacionados com o motivo que as levou a tirar essa fotografia, em vez de rostos, de modo a preservar a identidade e manter o anonimato. Não foi necessário distribuir máquinas fotográficas ou instruir as participantes sobre o seu uso, porque todas possuíam telefones portáteis com câmaras acopladas que sabiam manejar. Numa segunda fase, foram realizadas entrevistas em profundidade em que foram discutidas, analisadas e validadas com o investigador as fotos capturadas e os temas identificados. A esta fase que alguns autores denominam photo elicitation (Radley, A.; Taylor, 2003; Oliffe & Bottorff, 2007; Harper, 2010; Harris & Guillemin, 2012), foi utilizada a técnica SHOWeD (Shaffer, 1983) modificada, de forma a dar resposta aos nossos objetivos. O acrónimo SHOWeD refere-se a questões a colocar aos participantes para os ajudar a falarem acerca das fotografias por eles capturadas, para as descreverem e analisarem criticamente. É composto por cinco perguntas: a)What do you See here? b) What is really Happening here? c) How does this relate to Our lives? d) Why does this situation, concern or strength exist? e) What can we Do about it?  (Wang, 1999; Catalani & Minkler, 2010; Padgett et al., 2013; Teti, Pichon, Kabel, Farnan, & Binson, 2013).

As entrevistas foram gravadas em áudio, os dados colhidos transcritos para um verbatim que posteriormente foram introduzidos e analisados juntamente com as fotografias, utilizando software específico. Os dados foram sujeitos a uma análise qualitativa utilizando os procedimentos inerentes à Grounded Theory segundo Charmaz (2014), em que o verbatim das entrevistas sobre as fotografias foi analisado do seguinte modo: leitura e codificação linha a linha, utilizando a forma gramatical do gerúndio para os verbos e mantendo sempre que possível as palavras ou expressões utilizadas pelas participantes (codificação inicial); interagindo e comparando sistematicamente os dados entre si – dados com dados, dados com códigos e posteriormente dados e códigos com possíveis categorias e subcategorias (codificação focalizada). Durante o processo de análise dos dados foram também elaborados memos em que se procurou responder a questões clarificadoras das propriedades e robustez das categorias, como por exemplo: A quem? Como? Quando? O que fazem? Que consequências?

Para garantir que todos os pressupostos éticos fossem assegurados, foram obtidos os pareceres e consentimentos éticos de todas as instituições envolvidas, bem como das participantes para a gravação das entrevistas e utilização das fotografias e garantido o anonimato.

O Photovoice revelou-se um importante método de recolha de dados por permitir aceder à perspetiva dos participantes e melhor compreender o significado que o fenómeno da maternidade tem para estas mães com mais de 35 anos, e simultaneamente promover o seu envolvimento e empoderamento. O Photovoice enquanto método de recolha de dados permitiu uma compreensão mais aprofundada do significado da experiência da maternidade depois dos 35 anos, enriquecendo a análise da Grounded Theory por promover o pensamento e análise crítica nas entrevistas e elicitação das fotos. A utilização do Photovoice em simultâneo com a Grounded Theory, revelou trazer benefícios recíprocos.

Figura 1 – Esquema da colheita e análise das fotos

Referências Bibliográficas

Catalani, C., & Minkler, M. (2010). Photovoice: A Review of the Literature in Health and Public Health. Health Education & Behavior37(3), 424–451.

Charmaz, K. (2014). Constructing Grounded Theory. (Sage, Ed.) (2nd ed.). London.

Harper, D. (2010). Talking about pictures : A case for photo elicitation. Visual Studies17(1), 13–26.

Harris,A. ; Guillemin, M. (2012). Developing Sensory Awareness in Qualitative Interviewing: a portal into the otherwise unexplored. Qualitative Health Research22(5), 689–699.

Oliffe, J. L., & Bottorff, J. L. (2007). Further Than the Eye Can See? Photo Elicitation and Research With Men. Qualitative Health Researchjuly . 17, 850–858.

Padgett, D. K., Smith, B. T., Derejko, K.-S., Henwood, B. F., & Tiderington, E. (2013). A picture is worth . . . ? Photo elicitation interviewing with formerly homeless adults. Qualitative Health Research23(11), 1435–44.

Radley, A.; Taylor, D. (2003). Images of Recovery: A Photo-Elicitation Study on the Hospital Ward. Qualitative Health Research13(1).

Shaffer, R. (1983). Beyond the dispensary. African Medical and Research Foundation.

Teti, M., Pichon, L., Kabel, A., Farnan, R., & Binson, D. (2013). Taking pictures to take control: Photovoice as a tool to facilitate empowerment among poor and racial/ethnic minority women with HIV. Journal of the Association of Nurses in AIDS Care24(6), 539–553.

Wang, C., & Burris, M. A. (1997). Photovoice: concept, methodology, and use for participatory needs assessment. Health Education & Behavior24(3), 369–387.

Wang, C. C. (1999). Photovoice: A participatory action research strategy applied to women’s health. Journal of Women’s Health.

1 comentário

  • aibprodrigues

    Muito bom artigo! Tive a oportunidade de estar presente na sessão do CIAIQ 2017 em Salamanca onde as autoras apresentaram este trabalho. Gostei muito. Agradeço a partilha.

DEIXE UM COMENTÁRIO